Acaba de ser publicada a Norma ABNT NBR 16365/2015, referente à Segurança de Roupas Infantis e que foi elaborada por uma comissão de estudos do Comitê Brasileiro de Têxteis e do Vestuário (ABNT/CB-17), formado pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), pela ONG Criança Segura, dentre outras entidades que representam o setor.

A implantação do chamado Bloco K do Sped Fiscal - escrituração fiscal digital do Livro Registro de Controle da Produção e do Estoque, conforme Ajuste SINIEF 17/2014 – a partir de janeiro de 2016 é motivo de preocupação para os industriais fluminenses. Após ter obtido o adiamento da obrigatoriedade, o Sistema FIRJAN busca agora soluções para minimizar o impacto da adoção da medida e simplificar o sistema.

A indústria de vestuário mundial, assim como outros setores produtores de bens de consumo, vem se desenvolvendo significativamente nos últimos anos. No Brasil, porém, a indústria de vestuário apresentou queda de 0,5% na produção, em 2014, acompanhando a queda de 0,3% no número de unidades produtivas e -1,5% no pessoal ocupado. Em termos nominais, o valor da produção em geral teve alta de 5,6%.

O Sistema FIRJAN, por intermédio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), promove o Programa de Educação Executiva em Gerenciamento de Projetos nas Empresas. O curso acontecerá nos dias 10, 17 e 26 de junho, das 9h às 18h, na sede do Sistema FIRJAN, e visa atualizar e capacitar os empresários e executivos fluminenses em conceitos e processos que vêm determinando a competitividade e lucratividade das mais bem sucedidas empresas industriais do mundo.

Em comemoração ao Dia da Indústria, celebrado em 25 de maio, o Sistema FIRJAN realiza no próximo dia 29, das 9h às 13h, o seminário “Sistema Tributário: Entraves e Avanços Necessários”. O objetivo é conhecer a estrutura tributária de outros países e discutir as possibilidades de aperfeiçoamento no Brasil, com foco no tamanho da carga e na complexidade do sistema.